4 de junho de 2014

Disto de vender carros a um cigano...

A pessoa passa por aquela fase louca do ´tá-se bem, a malta é fixe, o pai resolve, não há puto caroço, choca aí, tens uns trocos, dá-me uma passa, e but para a night que isto, mô, é só curtir!
É.
Ai estes jovens, dizia o meu avô,  não fazem puto de ideia o que andam a fazer. Ó avô, a mim? a mim ninguém me engana, achas? Pensas que sou doidinha ou quê?
E para mim eles tanto faz se assinas, se não assinas, contratos? isso já nem se usa que agora é tudo pela net, ainda para mais no aspeto do guito a coisa ficou na boa, era dinheiro vivo, o material até nem estava em condições, e tudo se resolveu com um choca aí, não assinas agora, assinas depois. Como é mesmo o teu nome?
Pois.
Aquilo parecia-me tudo espetacular. O carro estava uma lástima, todo batido, cheio de nights riscos e já com o radiador a querer explodir. A ventoinha já só funcionava se lhe assoprasse, e para aquilo andar dois km de seguida, tinha de andar com um garrafão de 5 litros atrás.
O meu pai foi peremptório: estou fartinho dos problemas do teu carro, mas pai, podias ao menos ajudar-me. Arregalou-me os olhos para mais uma sessão de, temos pena, um carrinho tão bom, espatifaste aquilo tudo. Pois foi pai, mas agora não me serve para nada.
E eu, que já tinha o vizinho à perna, e que não tardava tinha a trupe da Câmara para levar o bólide para a sucata, e mais multas e o caneco, tinha de me desfazer da viatura antes que ela se desfizesse no meio da rua.
E foi o que fiz: Vende-se barato!
Aiiiiiiííí, meninaaaa, entãããão nãããã me vende o sê carrinhoooooo baratiiiiiinho?
Zás! Quando dei conta tinha um senhor de chapéu preto a dar-me 500 euros no meio da rua.
Só faltava dar pulos de alegria. Livrei-me do chaço e fiquei com guito suficiente para, vá, 1 mês de borga. Cópias de BI´s para a frente,  e pegue lá o livrete para trás, assine aqui a cópia, hahahahaha uma cópia, assine aqui hahahahahaa, e aquilo pegou e nem aqueceu, e a verdade é que nunca mais o vi. Nem a ele nem à alteração do registo de propriedade.
E passaram-se 15 anos sobre o acontecimento. Mas lá está, há coisas da juventude, caramba, que nos perseguem como os doidos da gabardina.
O ciganito desapareceu há precisamente 77 assaltos à mão armada, 80 roubos por esticão, 300 toneladas de roupa contrafeita e 568,00 € atrás, no meu automóvel alado.
Só ontem é que eu deixei finalmente de pagar o selo do carro, as multas porque não paguei o selo do carro, o solicitador que andou às voltas no IMTT para me livrar do cigano, do carro e muita dor de cabeça depois, venho aqui para vos pedir:
Se virem um cigano num Fiat Punto todo esganado, digam-lhe que me deve 68 paus.
Aiiiiiii mê paiiiiiiiiii!
Aiiiiiiiiiiiiii pai delaaaaaaaaa!

Era igualzinho a este.... quando era novo....
 

7 comentários:

  1. e será que ainda dá para ver que é um fiat punto? não terá já um cavalinho tipo ferrari na ponta do cromado? ainda haverá cromado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando o vendi já ele era 'uma espécie de fiat punto'...

      Eliminar
  2. Cabeça maidoida, pá!
    Esse cigano não seria um membro do governo???

    Beijinhos Marianos, Uvinha! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desmiolada é pouco... os meus pais sofreram imenso.

      Eliminar
  3. É do catano!! A mim também já me aconteceu uma cena dessas...

    ResponderEliminar
  4. Regra de ouro (aprendi da pior forma) nunca negociar carros com ciganos. Vendi um carro ao preço da chuva a um cigano a pensar que estava a fazer um negocio de boa fé, deste então tenho recebido varias chamadas do mesmo a tentar extorquir dinheiro por tudo e por nada, quer inclusivé que lhe pague o selo do carro que já nem é meu! Tenho pena que tudo o que se diz sobre os ciganos não seja apenas um fantasma mas sim uma realidade constatada.

    ResponderEliminar