25 de agosto de 2014

Tormentos Russos



Ando há sensivelmente 3 semanas a ler este livrinho.
E hoje, quando lhe peguei para saber se as novas ideias de Lévin para os seus quinhentos mil hectares de terra, e para os seus mujiques, lhe iam dar mais alguns copeques de lucro, venho a saber, para grande espanto meu, que o agro-beto se fartou do campo e decidiu desistir de tudo e partir para a estranja para obter mais conhecimentos para acabar um tal de livro que anda a escrever.
Olha que ideia magnífica.
Faz muito lembrar aqui o nosso jet-set.
Quando não aguentam com mais bosta, retiram-se para escrever um livro.


6 comentários:

  1. Nem mais. Não sou jet set. Mas qualquer dia retiro-me para escrever um livro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E já sabes o que escrever? Isso é o mais difícil. Houve uma alminha, dessas muito entendidas em livros, que me disse que escrever ao sabor da pena nunca dava resultado. Para se escrever um livro é preciso saber muito antes, aquilo que se vai escrever.

      Eliminar
  2. Também já pensei nisso, retirar-me para escrever um livro... eu até tinha pensado escrever sobre um grupo de pequenos feiticeiros e as suas peripécias.... mas, acho que me roubaram a ideia! ;))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um bom livro infantil é o princípio de tudo.

      Eliminar
  3. Pois eu só pensei em retirar-me, ponto! Para quê escrever um livro quando há tantos e tão bem escritos, hein?

    Beijinhos Marianos, Uvinha pensadora! :

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gostava de escrever uma coisa muito boa e muito bem escrita. Assim top. Depois ganhava montes e aí sim, retirava-me para ler esses outros à vontade. Beijinhos Maria!

      Eliminar