17 de junho de 2015

Idiossincrasias do mundo da banca - Capítulo 'Gestores de Topo'

- Bom dia! 
- Olá, está boa? 
- Estou ótima e tenho novidades.
- Ai sim? Então venham elas.
- Estão cá em Lisboa, e durante 2 dias, um grupo de investidores que constituem um importante fundo de investimento americano. Estão interessados em reunir convosco para aferir sobretudo se há interesse na compra de ativos imobiliários e crédito mal parado. São excelentes notícias. Vamos agendar?
- Claro!

(...)

- Bom dia! 
- Olá, está boa? Tudo certo para a reunião com os americanos?
- Bom, mais ou menos. 
- Então, alterações? Temos tudo preparado.
- Não tenho boas notícias e venho justamente desmarcar. A equipa destacada para a reunião, e os dois diretores do departamento, acabam de ser convidados para um roadshow em Itália para captar investimento estrangeiro. Perguntam se pode ser antes uma conference call. Podem até fazer a partir do hotel em Roma, acha bem?


Acho lindamente.
Acho absolutamente natural e até educativo que um bando de arvelas descerebradas decidam captar investimento estrangeiro em roadshows all include, com grandes jantaradas em restaurantes de portugueses emigrados - coitados, que dão o cu e três tostões para receber os alarves engravatados só para lhes darem um cartão de visita que nem chega ao hotel -, em visitas à Disney ou para observar como se fazem feiras populares à séria, aproveitando o free time para dar uma voltinha na avenida ou ver algum espectáculo do La Féria italiano, coisa muito chique, só que não, depois de dias inteiros com o cu alapado em round tables a discutir  a diferença entre o Real Madrid e o Barcelona, tudo pago pelo dinheiro dos depositantes, claro, que se lixem os depositantes, cambada de miseráveis, ao invés de receberem os investidores que se deslocam até cá, fazendo eles próprios o obséquio da despesas, pagando eles próprios as despesas de representação e com ideias de investimento sérias, de negócio franco enfiadas na mochilas. Com dinheiro.

Depois ainda perguntam porque é que estamos no cu da Europa.
E eu respondo: porque há uns gajos que só pensam no que enfiam no próprio cu, que na verdade é exatamente o que têm na cabeça.





16 comentários:

  1. Clap Clap clap! E acho que não sairemos do cu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;). Podemos chegar a meio das costas mas com grande dificuldade.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Vai tudo de cu tremido para Itália, que se lixem os investidores. Os de de cá e os de lá.

      Eliminar
  3. Não percebi, querida Uva.....Não consigo escrever Clap,clap, ahahahahahah, sem perceber.
    O que se passa que me escapou?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1. Há investidores estrangeiros em Portugal cheios de dinheiro para investir cá. Marcaram-se as reuniões no banco em Lisboa para serem cá recebidos.
      2. Os executivos do banco receberam entretanto um convite para fazer um roadshow para captar investimento estrangeiro, com o apoio de várias empresas e tal, as usual.
      3. Lixaram-se no investidores que já cá estavam em Portugal dispostos a ir ter com eles com a massa, e foram todos contentes para Itália fazer precisamente o mesmo mas com elevados custos e sem garantias de nada.
      Foi isto. Em vez de aproveitarem os que cá tinham foram antes laurear a pevide para fazerem exatamente o mesmo. Reunir com investidores.

      Eliminar
    2. Ahahahahahahahahahahahahahahaahahahahahaahahahaha, a sério? Temos cá disto, também?
      Que ganda vergonha. Na lista dos 36 países mais corruptos estamos em 5ª lugar. Ahahahahahahahahahahah, A sedução do dinheiro. Quando puderes Uva, vê um filme que passou num dos telecines que se chama "O Capital".

      Eliminar
  4. Dickhead's and assholes é o que não faltam por aí....
    eheheheh

    ResponderEliminar
  5. Estou como diz um amigo: desejosa que lhes cresça um pessegueiro no cu! E dos grandes, para que o tronco seja grosso e com raízes profundas!

    Beijos, Uvinha. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahahahahaha
      Um embondeiro é melhor Maria.

      Eliminar
  6. É um retrato tão fiel dos "nossos quadros superiores" que me senti..."em casa"...grrrrrrrrrrrrrrrr...e é por essas e por outras que depois tem dias que vais para casa a morderes-te toda e a perguntar "Mas porque diabo dás o litro Suri?! Porquê?!?!??!!"...grrrrrrrr....

    ResponderEliminar