8 de setembro de 2016

A imoralidade pregando a moral


Em 2015, um comprador que desejou manter o anonimato, comprou este [Amedeo] Modigliani por 158,3 milhões de euros na conhecida Christie's de Manhattan.
O escândalo não foi tão grande como o de 1918, quando o exibiram pela primeira em Paris.
"Reclining Nude", que parece ter nascido para causar escândalo atrás de escândalo, surge agora numa perspectiva diferente, mas que abala os cânones de uma certa 'moralidade imoral'.
É perfeita, a ironia daquela que está prestes a ser considerada a fotografia do ano.
A imoralidade pregando a moral.

O que é imoral? 

O preço do óleo sobre a tela, o anonimato do comprador, a cidade de Manhattan, Paris em 1918, raparigas de cabeças cobertas observando raparigas nuas, raparigas nuas em frente de artistas, artistas que olham raparigas nuas, a arte do artista, o conceito de arte, a arte?

Se te identificaste com uma ou mais das supra justificações, não és imoral.
És um invejoso.
E quem inveja não medra.
E quem não medra não vive.

7 comentários:

  1. espontânea ou encenada?
    imoral se encenada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. imoral porque tanta coisa onónimo, tanta coisa.

      Eliminar
  2. Atão e se um gajo não se identifica com nenhuma?

    (para ser franco nem acho o quadro grande coisa, mas enfim...)

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és um gajo especial. Eu sempre soube isso!

      Eliminar
    2. Eu?! Só se for de corrida...

      LOL

      :)

      Eliminar
  3. Adoro Modigliani!
    O que é (i)moral?

    Beijocas, Uvinha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto dele. Pinta as almas das pessoas. Os olhos são mesmo creepy.

      Eliminar