10 de abril de 2015

O que faz um filho único no Dia dos Irmãos?


24 comentários:

  1. Querida Uva Passa,
    Eu diria que faz o mesmo que os filhos múltiplos: ignora a existência do dia dos irmãos. Mas, pelos vistos, não.
    Bom fim de semana,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho muita pena de não ter irmãos. Este dia lembra-me sempre a minha mãe gaguinchas. Nunca tive um irmão porque ela tinha medo de ter outro igual a mim... coitadinha.

      Eliminar
  2. Não sei se teria sentido grande falta de irmãos se tivesse crescido sem eles. Como não imagino como teria sido a minha vida sem um membro. Mas sou tão grata pelos irmãos que tive. Tanto como pelos pés e braços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas eu sinto a falta de uma irmãzinha para dividir as despesas com o lar. Hahahahahahah.
      De resto fico muito contente por ser a unica herdeira de uma herança brutal, com várias contas na suiça e terrenos no Alentejo. Só que não.

      Eliminar
  3. Ah, esquecia-me de te dizer: Não fiques tristes, todos os filhos são únicos, tenham irmãos ou não.
    E tu, Uvinha, és única!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou única porque estou a escrever uma crónica sobre irmãos, toda cheia de considerações e pensamentos, de uma coisa que nunca tive. Ando às voltas com isto e não está a ser fácil.
      Já pedi um irmão emprestado mas parece que ando tudo muito ocupado.

      Eliminar
  4. «uma pessoa» ausentasse durante meia dúzia de dias e não consegue comentar tudo, pá.
    és a máiorrrrrrrrr :-) não gosto de gatos, mas comovi-me com um dos posts lá abaixo... ;-)
    a entrevista «ao gameiro» deixou-me durante dias a pensar e sabes que nesse exercício sou fraquinha... fraquinha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Arranjei um catrefadão de inimigos com esse post. Houve aí uma alminha que me disse que eu era uma invejosa porque era pobre (também de espírito) e andava ressabiada porque não tinha ainda ido às Caraíbas com a pulseira, visitar as baratas voadoras.
      Tenho imensa pena desta alminha porque o que ela não sabe é que sou eu que exporto, vai para mais de 20 anos, essas baratas para as Caraíbas.

      Eliminar
  5. Um filho único, n sei. Já eu, lembrei-me q ainda devo metade da prenda do dia do pai ao meu irmão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os irmãos ajudam imenso nessa coisa das despesas. Há uns que fazem ainda mais despesas. Ahhh a falta que me faz um irmão...

      Eliminar
    2. Ahahah Uva, nessa coisa das despesas não ajudam nada. Ajudam sim em mexeriquices e codrilhices.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Já passou com a graça de Deus. Hoje é outro dia. ;)

      Eliminar
  7. Acho que seria triste. ➜ Apesar de tudo eu acho que é melhor ter irmãos.
    Pois são com essas pessoas que brigamos, brincamos e que estão sempre nos fazendo companhia. Muito bom!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Ter o binómio ajuda-nos imenso a crescer. Mas é como digo, a minha mãe foi uma caguinchas. Duas crianças hiperativas teria sido uma aventura muito maior.

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Isso ainda não existe. Mas ainda bem. Só à minha conta tenho 48, que a minha avózinha foi pródiga a fazer filharada. São mais que às mães. Credo.
      Se esse dia for inventado, eu compro uma viagem para as Caraíbas e fica-me a brincadeira muito mais barata. Ai as baratas, que não me largam.

      Eliminar
  9. O dia da mãe está quase aí e às vezes os irmãos são uns grandes chatos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conheço irmãos muito aborrecidos. Conto pelos dedos de uma mão os que conheço que se dão razoavelmente depois de adultos. É só tricas e confusões. Mas as mães são as culpadas. Nem sei porque fizeram o dia da mãe, esses seres que só servem para criar problemas... ;)))) hahahahahahah

      Eliminar
  10. Uva, não te maces com questões tão trancendentais! Nunca ouviste dizer que somos todos irmãos?
    Bom sábado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És minha mana é isso? Que maravilhosa notícia!

      Eliminar
    2. queria dizer transcendentais! e, sim, agora que falas nisso,(manas, barra, sisters) fico com pena de já não existir aquele programa da SIC, onde familiares nunca antes vistos, se abraçavam comovidamente à frente das câmaras. somos umas deserdadas da sorte! que pena!

      Eliminar