6 de novembro de 2015

Tudo lhe fede, nada lhe cheira

“Mas vocês são só cretinos por desporto, ou realmente não têm qualquer espécie de vida digna de cronologia e ocupam-se apenas da vida não-burocrática, não-vidinha-fadinho, dos demais? Eu considero a Nonô – a minha cachorrinha – e as minhas meninas gatas e o bebé Benny meus filhos. Vocês vivem em minha casa, cretinos? Vocês têm a fortuna de fazer parte da minha família? Não. Resumam-se à vossa exiguidade"

Cara Marta Rebelo,

Não é meu apanágio resumir-me a exiguidades, e não faço da minha cronologia virtual o apanágio da minha vida real.
Além disso a dignidade do ser humano não se mostra por aí, nas redes sociais, como está bom de ver.
Se o Jornal-i lhe permite chamar de cretinos, de escassos e poucochinhos aos leitores que naturalmente são livres de ter uma opinião sobre aquilo que a Marta publica on-line, sobre aquilo que decide partilhar sobre a sua pessoa, e sobre o que sente sobre as situações que na sua vida acontecem, lamento dizer-lhe Marta, mas também eu, que naturalmente sou livre de ter uma opinião sobre aquilo que partilha, lhe posso devolver o elogio.
Cretino é este Carnaval.
Não pense que lhe chamo cretina (que nome feio) a si pessoalmente, só porque acho cretino que goste desmesuradamente e arrebatadamente do seu animal doméstico, ou que o eleve acima de um qualquer namorado que teve a má sorte de escolher, não, não é isso que eu acho cretino Marta, pois sou capaz de perceber perfeitamente que goste mais dos seus animais do que de certas pessoas. O que acho realmente cretino é a forma infantil e desprotegida com que expõe, mais uma vez, a sua vida pessoal, os seus maus fígados, esperando granjear a condescendência dos outros, mostrando numa qualquer página jornaleira uma gigantesca fraqueza quando o feedback não lhe cheira.
A Marta é uma mulher inteligente, é uma mulher das letras, pertencente a uma sociedade supostamente mais evoluída, já foi deputada, já foi até capa de revista, endeusada, e mesmo assim sujeita-se a uma situação absolutamente inenarrável do ponto de vista social.
A situação inenarrável não é o seu post com as suas idiossincrasias e extravagancias, porque desses também tenho aqui de sobra, mas é a forma como se apresenta na defesa da sua própria extravagancia.
Considero que deveria agarrar nas poucas forças que lhe restam, depois deste infeliz episódio, apanhar os cacos da sua própria atitude, e fazer uma instrospeção séria. Seria talvez mais ajuizado recolher-se, fortalecer-se, ao invés de usar o Jornal-i para nos atacar a todos, ou pelo menos, pareceu-me, os que a consideraram um tanto ou quanto excêntrica porque escreveu uma carta a um gato, e ainda a publicou no seu blog.
Ao contrário do que pensa, talvez engolida por um ego demasiado inchado, ninguém estava preocupado com o seu ex-namorado, nem consigo, nem com o seu gato, a Marta é que empreendeu em mostrar-se de uma forma esdrúxula, e desculpe dizer-lhe, totalmente desconcertante.
Eu bem sei que nos tem a todos, os maus, como uma espécie de bezerros cuja 'mioleira' fede de poucos escrúpulos, que acha que todos lhe queremos mal e que todos detestamos animais, mas oiça Marta, não é nada disso.
Lembrar-se-á daquilo que escreveu sobre a Joana Amaral Dias certo? Ela despir-se grávida em vésperas de eleições foi para si, como você mesma lhe chamou, um crime de lesa-majestade. Foi a gota de água para a sua dignidade, despoletando um sem número de acusações muito feias, que também publicou.
Considera a Joana Amaral Dias infame? Que quer que pensem de si quando considera um animal superior a um ser humano? Não acha normal que haja quem considere isso ainda mais infame? O animal acima do Homem? O animal superior ao namorado? O gato superior a um filho?
Será essa mesma miséria umbiguista, termo através do qual acusou a Joana Amaral Dias de prostituta partidária, a mesma que a levou a escrever o seu post? Não será umbiguismo seu sobrepor o seu animal doméstico ao ser humano-namorado?
E nesta altura em que escreveu estas coisas sobre a Joana Amaral Dias não estava deprimida? E a Joana? Acha que ela no estado frágil da gravidez (todos sabem como as mulheres ficam nessas alturas, não é?), lhe merecia tamanho ataque virtual, assim, à queima roupa, tudo espalhado pela internet? Aliás, como lhe fazem agora?
O que esperava? Uma devolução pacífica do Universo do que dá ao Universo?
A doença do Ego Marta, que na verdade é a única que tem, costuma curar-se quando fazemos realmente alguma coisa de louvor, alguma coisa mesmo bem feita. Não é partir a loiça, cacos por todo o lado, vitimização, para darem por si, agora que se apagou socialmente.
Por outro lado, e usando as suas próprias palavras Marta, se venho a terreiro opinar é por entender que existe voz, acção e mudança, e por entender que tenho exatamente o mesmo direito que vocência para me insurgir contra aquilo que considero o mais deplorável ataque aos leitores do i (e até aos seus leitores que não partilham dessa sua excentricidade de chamar filho a um gato), que considero uma baixeza, uma autêntica possidonisse, que, e como já lhe disse ali em cima, não calo por não ser meu apanágio resumir-me a exiguidades.

If you can't stand the heat get out of the kitchen.

35 comentários:

  1. Standing Ovation my dear Uva. É que é mesmo isto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oras. Escreve tudo o que lhe passa pela mioleira e depois não gosta que lhe façam o mesmo.

      Eliminar
  2. Tu escreves muito bem! Porra, a sério que também gostava, Uva.

    ResponderEliminar
  3. Muito bom! Alguém que diga, as coisas como são. Já chega de novela.

    ResponderEliminar
  4. Ó anónimo, também está deprimido ou o vernáculo já faz assim parte da sua formação académica? Eu aqui falo do que bem entendo e quando muito bem entendo. Era só o que faltava. Hahahahahaha Se tem pena dos animais vá alinhar com o PAN ou seja padrinho de uma girafa lá no zoo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mal desta gente é achar que quem não concorda com aquela "carta" ou a acha ridicula, não pode gostar de animais. Ora por favor, eu gosto muito de animais, mas no dia em que o puser no mesmo patamar que o meu filho mandem-me internar.

      E depois coitadinhas, podem falar do que quiserem e dizer mal de quem quiserem, mas ai jesus de quem ousar falar delas. A sério, a senhora não está, não pode estar, bem

      Eliminar
    2. Mas depois deixam-me comentários tão mas tão bregas, tão baixinhos. Coitadas, deviam lavar a boca com sabão.

      Eliminar
  5. Já tive o desprazer de contactar virtualmente com a Marta Rebelo e só posso dizer que é, de facto, uma pessoa muito estranha, com um ego do tamanho do mundo. Mas este assunto já me enerva. Acho que ela não vale o sururu que se suscitou à volta dela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excêntrica. Mas como está deprimida já pode dizer o que quer e de quem quer. Já o contrário.. ai de quem lhe diga coisas, que vêm logo as virgens ofendidas dar o contributo à salvação das almas. Tenham dó.

      Eliminar
  6. Quem cospe para o ar, arrisca-se a levar com o cuspo na tromba...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teve uma péssima ideia e depois não quer que a macem com o assunto. Pois estava-se mesmo a ver o que ia acontecer...

      Eliminar
  7. Tanto, tanto, haveria a dizer sobre este post, mas fiquei-me ali por aquela parte onde a Uva diz que aqueles que chegam a deputados são supostamente pessoas mais evoluídas. A sério, Uva, não é nada contra si, mas não consigo parar de rir.

    (esse, só por si, teria sido um bom ponto para reflexão no meio de toda esta palhaçada, mas não o vi referido em lado nenhum. Está tudo demasiado absorvido numa suposta humanização de um gato, por um lado, e num suposto Acordo ou na falta dele, por outro, e o essencial passa-lhes ao lado.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas são mais evoluídas se estudarem. A Marta Rebelo é advogada. Julgo que vinte e tal anos de escola lhe tenha ensinado alguma coisa. Por isso se luta pela educação/informação, para que as pessoas possam evoluir.

      Eu não disse que a Marta era evoluída por ser deputada, disse que tinha evoluído na escala social, o que é totalmente diferente. Lembra-se dela na capa do Expresso ou não? Completamente endeusada. Isso é evoluir na escala social, que pode coincidir com evolução intelectual, ou não.
      Dessa super-Marta até esta Marta, vai um horror de espaço.
      Não quero saber se ela humanizou o gato, o que acho mal é ela arrasar as pessoas chamando-as de cretinas, arrasar a outra porque se despiu e depois ela própria se despiu e ficou furiosa quando falaram dela. (despiu-se porque se expôs, bem entendido).

      Fale-me lá do seu essencial então.
      O meu é este que lhe referi, pela rama claro, que isto é um post não é uma tese de mestrado.

      Eliminar
    2. Poderíamos dissertar sobre como é que uma desmiolada (por assim dizer, poderíamos usar outros termos, mas agora não me apetece ir à procura deles) como ela chega à Assembleia, que devia ser uma casa séria. Poderíamos ainda dissertar sobre tudo o resto que por lá vai, a avaliar por esta amostra.
      E também muito poderíamos dizer sobre esse endeusamento de que a Uva fala nas capas de jornais/revistas. Sobre, por exemplo, como endeusamos quem alcança tais estatutos como se a evolução social fosse automaticamente sinónimo da tal evolução intelectual. Não é.

      Mas fiquemo-nos pela rama, como tão bem diz. Senão ainda temos que concluir que isto é tudo uma sociedade do faz de conta, assente em endeusamentos promovidos por uns e avidamente aceites por outros e isso é capaz de nos estragar o fim de semana.


      (atenção que eu não disse que a Uva no seu post diz que ela é evoluída, nada disso. Apenas discordo ligeiramente quando diz que as pessoas são mais evoluídas se estudarem. Conheço muita gente sem estudos que arruma em evolução muito doutor-burrinho que por aí anda, se é que me entende. Mas percebi o seu ponto de vista, fique descansada.)

      Eliminar
    3. Exatamente.
      Por aí também vou. Muito havia para se dizer sobre a amostra que lá temos a governar-nos. Eu vou dizendo algumas coisas, mas pouco me ouvem.
      Gostei muito do seu comentário.
      Bom fim de semana.

      Eliminar
  8. Bom fim-de-semana Uva, como sempre, tocaste no ponto, só espero que lhe chegue aos olhos ou ouvidos e que "entre". Há pessoas que precisam de um banho de realidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom fim de semana Bezinha! Abraços cheios de braços.

      Eliminar
  9. Que texto incrível. Parabéns! Sinceramente, só queria metade do seu talento. :)

    ResponderEliminar
  10. Mais uma polémica que me passou ao lado. Ora bolas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Deixa lá. Foi só a Marta Rebelo que se pôs a jeito outra vez.

      Eliminar
  11. Maravilha de post, Uva.
    (agora é aguentar, cairão aqui as do costume, que é uma vergonha que a mulher está em sofrimento e que ninguém tem nada a ver com as cartas que decide tornar públicas...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui se já sem este tipo de posts me dão grandes coças, com estes então... ;)))

      Eliminar
  12. Com pedras matas, com pedras morres. A sabedoria popular põe o dedo na ferida.

    Beijos, Uvinha. :)

    ResponderEliminar
  13. Mais uma personagem ideal para entrar naqueles programas tipo casa dos segredos, não passa disso.

    ResponderEliminar
  14. Essa Marta é desprezível. Pensa que pode dizer o que bem entender aos outros, mas os outros nada lhe podem dizer que a contrariem.
    E não me venham dizer que é doença do foro psiquiátrico. O que a senhora tem é uma má educação permanente e isso, senhores, a ciência ainda não consegue explicar (nem resolver).

    ResponderEliminar
  15. Muito bom! Gostava sinceramente que este texto chegasse aos olhos da Marta.
    Só não consigo gostar da associação que faz referindo que a Marta é uma "mulher inteligente"..."que já foi deputada"! Humm, cheira-me a ironia, não será? :)

    ResponderEliminar