19 de fevereiro de 2016

Pouca vergonha estes artistas pá!










@ Fotos da autora Uva Passa 
(que tem sempre um cuidado extremo em captar os pormenores mais importantes da peça)


Andava eu muito contentinha a passear num museu super snob-chic, um quadro ali, um quadro acoli, um silencio de fazer medo aos mortos, visitantes soturnos, paredes brancas, alemães sóbrios.
De repente, oiço um remoinho de vozes e um miúdo a por-se muito vermelho.
Já está! Pensei eu. Já levou com um rabo branco de uma qualquer Valquíria.
Afinal não.
Era uma cena ordinarona, plantada no centro da sala mais requisitada do museu.
Já nem na arte há decência?

9 comentários:

  1. Um lado da arte sempre foi provocatória, não? E isso já vem de longe, muito longe. O que me admira é fazer ainda admirar alguém. eheheheheheh

    Bom dia Uva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A arte admira-me sempre. Por isso é sou louca por ela.

      Eliminar
    2. Uva, eu referia-me à sem vergonhice da arte eheheheheh

      Eliminar
  2. Realmente...

    ...nem a perna partida da rapariga impediu a sem-vergonhice...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava toda escafiada! Pudera, com aqueles amassos!

      Eliminar
  3. Toda a arte é uma indecência
    Quem discorda, paciência

    ResponderEliminar
  4. Oh UVA, todos os homens só pensam nisso :)
    Às de reparar na quantidade de alusões a sexo que se faz em tanta "obra de arte" da mais variada origem e propósito. Uma vez falei com um escultor em início, outro de carreira, e é sempre as formas femininas e o corpo feminino que os leva a esculpir, rss. Mas não só: começa a reparar com atenção em algumas imagens que ilustram blogues, por exemplo. Só pensam nisso e em «mamas e rabos» rsss.

    Defendo que, se existe lugar para tudo, é na arte. Desde que exista um conceito/mensagem/ideia ou propósito e não como algo gratuito.

    ResponderEliminar
  5. São lindas estas esculturas. Nada me choca nelas:)
    ~CC~

    ResponderEliminar