23 de julho de 2014

Da dificuldade de entender certas coisas

Se dúvidas houvesse, sobre a dificuldade da profissão à qual (por ora) me dedico, fica aqui um exemplo de quantos neurónios é preciso ter (que eu não tenho) para entender certas coisas sobre as quais me debruço no dia-a-dia:
Reza então assim o terrível documento:
Aos quinhentos e cinquenta dias após qualquer coisa, foi celebrado, para adiamento do montante previsto para o contrato de empréstimo de médio a longo prazo, um contrato intercalar de mútuo com consignação de receitas e aval no montante de quinhentos e muito euros, tendo por finalidade o financiamento de apoio à tesouraria, dada a recusa do visto prévio...
Estou terrivelmente cansada.
Porquê eu?
Porquê?

5 comentários:

  1. Perdi-me a meio............. (não estou habituada a essas ladainhas)
    Lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ando perdida há já vários anos... só te digo.

      Eliminar
  2. Às vezes parecem verdadeiros enigmas, mas entrando no espírito da coisa depois reparamos que são coisas tão simples.

    (desculpa, mas estou um bocado abalada com a conversa dos enigmas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entrando no espírito da coisa, parece-me bem. Mas estas coisas são do demo, e toda a gente sabe que o demo não tem espírito... pois...

      Eliminar
  3. Eu lido com coisas do género. Algumas só as assimilo depois de as escrever. Não me basta ler.

    ResponderEliminar