7 de novembro de 2014

Acabo de chegar da Homeopata

Tendo perdido toda a esperança na medicina convencional, e já completamente perdida, fui levada a tomar decisões drásticas e embarquei numa solução alternativa tipo ou-homeopatia-ou-racha., porque digo-vos mesmo, cheguei a um ponto lastimável da minha condição, e uma pessoa chega a uma altura da doença que caramba, é capaz até de comer o próprio ranho - para não dizer coisa pior - se isso lhe devolver a saúde.
Foi a essa altura que eu cheguei.
Não, não comi o meu próprio ranho, mas fui consultar uma sumidade da homeopatia.
Fui por ali fora, Avenida abaixo, chovia como Deus-a-dava, raisparta lá o Santo, e toca de me enfiar dentro de um prédio inóspito e desolado, ainda do tempo do pré-terramoto, pingando água, e cholp, chlop, chlop, escada acima até ao 5º andar, para finalmente me encontrar com uma Santa; a senhora professora doutora da parte do pai, e Maria qualquer coisa da parte da mãe, moça dos seus 123 anos, cabelo encaracolado de cor duvidosa, digamos que, alternativa, com um tique nervoso no olho esquerdo, que piscava frenético e terrifico direito a mim, e que me deu um aperto de mão que me ia partindo as falangetas.
Sente-se! Pese-se! Respire! Expire! Costas direitas! Levante-se!
Credo, pensava eu, enquanto era manejada qual marioneta pela sumidade: mas eu vim a um homeopata ou vim fazer exames para a recruta?
Pois, pois, dizia-me ela confiando uma suposta barba. Há muitas mulheres com esse problema, sim, sim, e é estranho, muito estranho, e percorria o corredor entre a balança verde e o armário de arquivo vertical, tensa mas vagarosa, olhando para os sapatos, ora torcendo o pé para ver a sola descosida, ora agachando-se para ajeitar as calças à boca-de-sino, presas pela bainha aos atacadores. 
Eu, enquanto esperava que lhe surgisse uma epifania alternativa para o meu problema comum, olhava o consultório, alto como a Capela Cestina, composto por uma secretária do tempo do Salazar, despida de computador, uma marquesa de ferro com degraus emborrachados e uma cadeira de pau, onde tinha o meu grande rabo alapado.
Cara Uva, disse-me ela, sentando-se bruscamente à minha frente com um papel qualquer na mão, julgo que os restos de uma folha de revista, faça este esquema se fizer favor: pevides de abóbora, comprimidos de aceroula, biophitoplancton das águas do pacífico-sul-noroeste, ranho de caracol listado do deserto do Atacama-Chile, e três litros água de Moscavide. De Moscavide?  Não, não, de Monchique, desculpe.
Levanta-se, parte-me o resto das falangetas e enchota-me do gabinete como uma reles mosca-morta.

Acabo de chegar da farmácia homeopática. 
A mulher que me atendeu, uma lambida e escanifobética alemã, olha para mim, estende-me uma espécie de fatura cuja soma vislumbrei, e perguntou-me: a menina é alguma coisa à senhora professora doutora da parte do pai, e Maria qualquer coisa da parte da mãe?
Não, disse-lhe eu já em delirium tremens, com os olhos posto na f(r)atura, porquê?
Nada, nada, é que assim de repente pareceu-me... pela expressão do olho esquerdo.

A sério???
Três pevides de abóbora, umas gotas de água do mar e um pó branco que sabe a fénico, 94,00€????????
Juro, que se a minha mãezinha não me tivesse educado tão bem, era capaz de subir os 5 andares e arrancar aquele olho à dentada.

24 comentários:

  1. Se calhar a cura não está em comer o teu próprio ranho, se calhar só tens de comer o olho da professora doutora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E depois além do problema que tenho, ficava também com um problema de estômago.

      Eliminar
  2. E depois acordaste, não foi Uva? Isto foi só um sonho mau, não é assim?
    Ponto, já passou, vá. Não vale a pena chorar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 94 euros Sara, NOVENTA E QUATRO EUROS???????????

      Eliminar
    2. Foi só um sonho mau, vê lá se te acalmas.

      Eliminar
    3. Mais valia teres oferecido esse dinheiro à Sara para que alimentasse aquele cão em condições.

      Eliminar
    4. O cão mete dó... realmente. E um peditório? Eu fiquei tesa, pouco posso ajudar, mas tenho contatos...

      Eliminar
    5. Nãaaaaaao! Ele não está magro! Vou levá-lo agora a tomar a vacina, vão todos dizer que ele parece um pote. Oh Filipa... tu... (inspira, expira, inspira, expira...)...

      Eliminar
    6. Sara, a Filipa tem 8526 cães (dois deles obeso), 124658952565859 gatos, (um deles com nome de motorista), 12515 cobras e um frigorífico cheio de ratazanas.
      Toma tento naquilo que dizes, porque se ela solta a bicharada, estamos bem lixadas...

      Eliminar
    7. Correcção: A arca cheia de ratos baby.
      Tive mesmo de mudá-los de sítio que já não tinha espaço para os bifes.

      Eliminar
    8. Os bifes de coelho que lhes dás nos dias de festa, certo?

      Eliminar
    9. Não. Em dias de festa. solto os chinchilas. Os bifes são para os gatos. Hoje um bife, amanhã um homem.

      Eliminar
    10. Andas a criar monstros. Qualquer dia acordas sem os caracóis... depois queixa-te.

      Eliminar
    11. Esperem! Perdi-me! A Filipa tem o quê na arca?

      Eliminar
    12. Aaaaaaaaaaah! Estás a falar a sério? Isso é a sério? Não! Não tem nada...

      Eliminar
  3. Pevides de abobora e agua do mar arranjas de borla :)

    Pelo menos que te cures.

    ResponderEliminar
  4. http://jugular.blogs.sapo.pt/a-bem-danacao-3820525 (provocação: se calhar consegues descontar no IRS!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola, por acaso fiquei tão lerdinha das ideias que nem vi essa coisa do IVA.
      Ainda estou mal disposta.

      Eliminar
  5. Pois olha, digo-te eu, que já larguei assim quantias generosas (mais generosas que essa - pensando bem, "generosas", não é termo correcto, vamos chamar-lhe "penosas") , receitadas também elas, por uma senhora professora doutora da parte da mãe, e Maria da parte do pai (palpita-me que possa ser a mesma personalidade), e fica aqui o meu testemunho: deu resultado. Mais moroso, mais caro, mas certeiro. Mantém-te firme. Isso vai lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai que boa notícia.
      Era na Rua da Prata a tua?

      Eliminar
  6. Nunca fui a um homeopata, mas as minhas Ms tomam medicamentos homeopáticos e dão resultado. Anima-te.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ando doente há 7 anos... espero mesmo que resulte. Não quero nada ser operada. Tenho horror a operações e o local do crime é tão, mas tão sensível, que se corre mal, fico uma mulher de 80 anos num corpo de 38.

      Eliminar